UFV inicia semana com professores parados e funcionários em greve

Ocupação estudantil no principal prédio da instituição entra no sexto dia consecutivo. 


A semana na Universidade Federal de Viçosa (UFV) vai começar com mobilização de professores, servidores e estudantes que são contrários à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de número 241, que estabelece um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos. O projeto, aprovado em primeiro turno pelos deputados, tem sua segunda votação na Câmara marcada para esta terça-feira (25).

SERVIDORES

Os servidores técnicos administrativos anunciaram que entram em greve a partir desta segunda-feira (24). A greve foi aprovada pela maioria dos servidores durante assembleia realizada na última quinta-feira, no espaço acadêmico-cultural Fernando Sabino. Segundo nota da Associação dos Servidores Administrativos da UFV (ASAV), a greve foi convocada conforme indicação da Federação de Sindicatos de Trabalhadores de Universidades Brasileiras (FASUBRA), cujo eixo central é barrar a PEC 241, assim como cobrar do governo o cumprimento do acordo de greve de 2015.

Estudante fala aos servidores da UFV em nome do movimento "Ocupa Bernardão" durante assembleia. Foto: Artur Vieira/Viçosa News
Estudante fala aos servidores da UFV em nome do movimento “Ocupa Bernardão” durante assembleia. Foto: Artur Vieira/Viçosa News

PROFESSORES

Os docentes aprovaram paralisação para as próximas segunda (24) e terça-feira (25). As datas foram aprovadas durante assembleia também realizada na última quinta-feira, na sede da Seção Sindical dos Docentes da UFV (ASPUV). Segundo nota divulgada pelo órgão, “a decisão se alinha a um movimento que ocorre em todo o país, contrário a uma série de medidas, como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, o projeto “Escola sem Partido” e a reforma do ensino médio”.

Professores se reuniram em assembleia na última quinta-feira. Foto: Artur Vieira/Viçosa News
Professores se reuniram em assembleia na última quinta-feira. Foto: Artur Vieira/Viçosa News

PROGRAMAÇÃO

Na segunda-feira os docentes farão nova assembleia, às 9h, na sede da categoria, para votação de indicativo de greve. No mesmo horário, os servidores estarão reunidos na sede da ASAV para a formação do Comando Local de Greve.

À noite, haverá um evento na ASPUV para debater os efeitos da PEC 241 na área da saúde. O debate está marcado para as 19h30 e é aberto ao público.

OCUPAÇÃO CONTINUA

A ocupação estudantil no edifício Arthur Bernardes entra no sexto dia seguido neste domingo. Após o Conselho Universitário (CONSU) da universidade soltar nota se posicionando contra a PEC 241 como está, o grupo que ocupa o prédio divulgou, no sábado (22), uma carta aberta pela qual critica a nota do CONSU e afirma que “seguirá em enfrentamento junto às mais de mil ocupações no Brasil contra a PEC 241 e demais retrocessos impulsionados pelo governo ilegítimo”.

Através da carta o grupo diz que “a nota divulgada a respeito da PEC 241 não contempla nossa reivindicação, uma vez que realiza uma abordagem parcial e superficial dos impactos desta no desenvolvimento socioeconômico do país. Ela se posiciona apenas contra o conteúdo do texto como está colocado hoje, com ênfase em seus efeitos na educação, deixando uma brecha que tornaria a PEC 241 aceitável em caso de mudanças pontuais em sua redação”.

Escadaria do edifício ocupado se virou espaço cultural e pedagógico. Foto: Artur Vieira/Viçosa News
Escadaria do edifício ocupado se transformou em um espaço cultural e de aprendizagem. Foto: Artur Vieira/Viçosa News

PAUTAS DA OCUPAÇÃO

Através da carta, os estudantes esclareceram que há quatro reivindicações de nível local, das quais, segundo o movimento, apenas uma foi atendida parcialmente pela universidade, que é o posicionamento contrário à PEC 241.

O grupo ainda pede a realização e divulgação de um estudo a ser realizado pela Pró-Reitoria de Políticas Orçamentárias (PPO) da instituição sobre como seria o orçamento da UFV caso a PEC 241 fosse aprovada há dez anos e projeções futuras.

Outra pauta seria a apreciação, em reunião aberta do CONSU, das contas do Restaurante Universitário (RU) e das alterações propostas pelo conselho e pela administração acerca deste, para que os estudantes possam ter acesso e participação em todo o processo.

Por fim, o grupo solicita a publicação de documento oficial, por parte da UFV, garantindo que não haverá qualquer ato de repressão, perseguição e/ou retaliação aos ocupantes, incluindo a não identificação, caso seja solicitado pelo MEC ou qualquer outra entidade, assim como foi solicitado às IFES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *