Estudantes ocupam prédio principal da UFV em protesto a PEC 241

Alunos cobram posicionamento da reitoria e Conselho Universitário contrário à PEC 241; UFV diz que vai se pronunciar sobre a ocupação ainda hoje.


Um grupo de estudantes ocupou o principal prédio da Universidade Federal de Viçosa (UFV) na noite desta segunda-feira (17). Faixas e cartazes foram coladas em toda a fachada do prédio para marcar a ocupação. O edifício Arthur da Silva Bernardes, também conhecido como “Bernardão”, é tombado pelo patrimônio histórico e concentra os principais órgãos da instituição.

Estudantes pretendem permanecer no prédio até que a UFV se posicione. Foto: Artur Vieira/Viçosa News
Estudantes pretendem permanecer no prédio até que UFV se posicione. Foto: Artur Vieira/Viçosa News

O grupo é contrário a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de número 241 que estabelece um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos. Os manifestantes também defendem pautas locais que envolvem bolsas de permanência, moradia e alimentação.

O movimento Ocupa Bernardão divulgou uma carta em sua página no facebook pedindo mais transparência e participação da comunidade universitária nos debates e deliberações acerca dos possíveis aumentos no Ticket Eletrônico dos Restaurantes Universitários. Os estudantes cobram ainda o posicionamento da reitoria e do Conselho Universitário (CONSU) em relação à PEC 241.

Além da ocupação

Os alunos querem transformar a ocupação em um espaço de aprendizagem. Em conversa com o VN, um dos estudantes que ocupa o prédio disse que “a ideia é aglutinar mais pessoas e transformar essa ocupação em um espaço pedagógico para mostrar e discutir com qualidade a questão desses cortes”. Eles utilizam as redes sociais para mobilizar e divulgar as pautas.

Faixas contra o presidente Michel Temer (PMDB) e o ministro da Educação, José Mendonça Bezerra Filho, estão por toda a fachada do edifício. Foto: Artur Vieira/Viçosa News

“A PEC 241 é um desmonte da educação pública e do Sistema Único de Saúde, uma precarização ainda maior desses serviços. Após os ajustes fiscais de 2014, a gente aqui na universidade vem sofrendo diversos problemas. A assistência estudantil é um deles. As bolsas não conseguem suprir as demandas, o RU piora a qualidade a cada dia, o PIBID sofreu cortes; enfim, uma série de questões de dificulta a permanência e o ensino de qualidade”, desabafa outro estudante.

O VN entrou em contato com a assessoria de imprensa da instituição, que informou que irá pronunciar oficialmente sobre a ocupação e as reivindicações dos estudantes na tarde desta terça-feira. A reitora Nilda de Fátima Ferreira Soares, que estava em viagem para Brasília, retorna ainda hoje à Viçosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *