Deputados criam frente parlamentar para defender demandas da Zona da Mata

Roberto Andrade (PTN) promete defender pautas pertinentes de Viçosa na ALMG


BELO HORIZONTE – Com o objetivo de fomentar o progresso da região da Zona da Mata, que nos últimos anos vem experimentando um declínio em sua economia, nove deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais se juntaram para criar a Frente Parlamentar para o Desenvolvimento e Apoio da Zona da Mata.

Um requerimento comunicando a criação da frente parlamentar à presidência da ALMG foi redigido no último dia 6. “A Zona da Mata vem experimentando nos últimos anos declínio em sua economia, o que demanda uma especial atenção. Para que haja um debate mais focado nas carências e demandas desta mesorregião é que se funda a necessidade da criação desta Frente Parlamentar para Desenvolvimento e Apoio da Zona da Mata”, afirma o requerimento que leva o nome dos nove deputados estaduais eleitos pela região.

Foto: Guilherme Dardanhan/ALMGEntre os deputados que integram a iniciativa está o viçosense Roberto Andrade (PTN). Além dele, compõem a frente o deputado Dirceu Ribeiro (PHS), de Ubá; Bráulio Braz (PTB) e Doutor Wilson Batista (PSD), de Muriaé e cinco parlamentares com domicílio eleitoral em Juiz de Fora: Antônio Jorge (PPS), Isauro Calais (PMN), Lafayette Andrada (PSDB), Missionário Márcio Santiago (PTB) e Noraldino Júnior (PSC).

O grupo corresponde a 12% dos 77 nomes que integram a 18ª legislatura, aumentando o poder de barganha da coalizão para tentar avançar nos pleitos que poderão ser feitos ao Governo de Minas por melhorias na região. Entre as demandas que devem ser alvo de deliberação destacam-se questões pertinentes à conclusão das obras da estrada que irá ligar o Aeroporto Presidente Itamar Franco à BR-040 (na rodovia MG-353, entre Goianá e Rio Novo), à segurança pública e à guerra fiscal travada na luta por novos investimentos com municípios de Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Além das pautas mais gerais e das pertinentes à Juiz de Fora, principal referência da região e origem de mais da metade dos integrantes da frente, os deputados oriundos das outras microrregiões defenderão também a inclusão de pautas relativas às áreas polarizadas por Muriaé, Viçosa e Ubá nas discussões.

No caso da microrregião de Viçosa, Roberto Andrade afirma que o potencial de conhecimento e tecnologia de ponta, latente na região pela presença da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e outras instituições de ensino, precisa do avanço das políticas públicas para ser melhor explorado. “Precisamos deixar nossa condição de meros exportadores de mão de obra qualificada e passar a reter esses profissionais em nossa região, dando incentivos aos empresários que queiram empreender aqui”, defende o parlamentar, que também promete lutar pela consolidação de um centro de convenções regional na cidade. “Hoje, temos uma infraestrutura adequada, com uma rede hoteleira que consegue hospedar milhares de visitantes. Viçosa e região já perderam muitos eventos, como congressos, encontros e workshops, por falta dessa estrutura.”

A Zona da Mata mineira é composta de 143 (cento e quarenta e três) municípios, abrangendo cerca de 2,7 milhões de mineiros e tem como divisa Espírito Santo e Rio de Janeiro. Com forte tradição industrial, em serviços e agropecuária. Sua produção industrial é vasta sendo forte a vocação em indústria alimentícia, agronegócios, extrativismo, mobiliário, metalurgia e tecidos. Sua produção corresponde a 7,6% do PIB de MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *