Prefeitura realiza coletiva de imprensa para esclarecer boato sobre Ebola em Viçosa

Jornalistas de todo estado vieram a Viçosa para ouvir as autoridades municipais.


VIÇOSA (MG) – Diante das informações veiculadas na mídia que o município de Viçosa apresentou, nesta semana, um caso suspeito da doença Ebola, a Prefeitura da cidade convocou uma coletiva de imprensa para esclarecer a população e passar as informações corretas aos jornalistas.

A entrevista aconteceu na Secretaria de Saúde na manhã desta terça-feira (28) e teve a presença do Prefeito de Viçosa, Ângelo Chequer; do Secretário de Governo, Luciano Piovesan; do Secretário de Saúde, Sérgio Norfino e da Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Viçosa, Cláudia Ferreira.

Primeiramente o Secretário de Saúde expôs um breve histórico sobre o ocorrido. Ele contou que na tarde da última segunda-feira (27/10), deu entrada no Hospital São Sebastião um jovem de 24 anos apresentando febre alta.  Durante o atendimento, o paciente, que é um estudante de doutorado da Universidade  Federal de Viçosa, relatou que fez uma viagem de 12 dias aos Estados Unidos, onde participou de um congresso e teve contato com pessoas de todo o mundo, inclusive estudantes de países africanos.

Ainda segundo o Secretário, e estudante contou também que retornou ao Brasil no domingo (26/10) e chegou a passar mal durante o voo. Na segunda-feira, já em Viçosa, o jovem decidiu procurar atendimento pela primeira vez. No hospital, ele mesmo levantou a hipótese de que poderia estar contaminado com o vírus.

A Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Viçosa, Cláudia Ferreira, esclareceu que, com base no relato e suspeita do próprio paciente, no primeiro momento, o hospital adotou as medidas de segurança padrão, isolando o paciente e suspendendo o atendimento: “Durante o isolamento, a hipótese foi descartada após se confirmar que, durante a viagem, o estudante teve contato apenas com pessoas saudáveis e de países que são considerados livres do vírus”.

O Secretário de Governo Luciano Piovesan disse que a Secretaria de Estado de Saúde (SES) acompanhou todo o processo, desde a chegada do paciente: “A decisão de liberar o paciente foi tomada em parceria com a SES, que por telefone informou ao município que o paciente não preenche critérios para caso suspeito de ebola, de acordo com o Plano de Contingência do Ministério da Saúde e, portanto, o isolamento não era necessário”.

Durante a entrevista o Prefeito Ângelo Chequer, garantiu que a cidade está preparada para lidar com casos de ebola que porventura surjam: “Todos os profissionais da área de saúde estão orientados a seguir o protocolo do Ministério da Saúde para lidar com a presença do vírus”, enfatizou Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *