Suspeita de ebola causou pânico em hospital de Viçosa mas possibilidade foi logo descartada

Estudante que participou de congresso diz que teve contato com africanos.

Secretário de Governo informou que caso foi noticiado de forma equivocada.


VIÇOSA (MG) – Um boato de suspeita de ebola causou pânico entre os moradores de Viçosa. Na tarde desta segunda-feira (27), o Hospital São Sebastião foi isolado depois que um jovem que teve contato com africanos nos Estados Unidos deu entrada na unidade, com febre. Rapidamente, um clima de medo se espalhou pela cidade e as mensagens sobre o suposto caso de infecção pelo vírus tomaram conta das redes sociais.

Segundo o secretário municipal de saúde, Sérgio Norfino, a suspeita caiu sobre um estudante que faz Doutorado em Biologia na Universidade Federal de Viçosa (UFV), que chegou neste domingo (26) dos Estados Unidos. Ele apresentou febre alta após contato com um estudante do Senegal (África), em um congresso em Nova Iorque.

O estudante passou mal ainda no voo de volta para o Brasil. Ele sentia dor de garganta e apresentou manchas na pele. Durante a noite, o estado febril se agravou e o jovem procurou o hospital nesta segunda, onde deu entrada às 16h30.

O relato do histórico da viagem do jovem foi repassado para a Delegacia Regional de Saúde de Ponte Nova e a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais, que orientou o hospital a isolar o paciente e impedir a entrada e saída de pessoas do hospital, para evitar uma eventual propagação do vírus.

Todos os atendimentos foram suspensos, inclusive de emergência. Quem estava na unidade não pode sair e quem buscou atendimento não pode entrar no local. A liberação do Hospital Municipal São Sebastião só ocorreu por volta das 21h20.

Durante o isolamento, os médicos compararam os sintomas do estudante com os sintomas típicos do vírus e, com a ajuda da Dr. Flávia da Secretaria de Estado da Saúde (SES), chegaram a conclusão que não se tratava de um caso do ebola. Segundo Sérgio Norfino, o jovem recebeu alta horas depois, mas terá seu quadro clínico monitorado por infectologistas da cidade.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Viçosa, Cláudia Ferreira, ressaltou que o descarte por parte da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais através de uma médica especialista ocorreu porque o estudante informou que houve contato apenas com africanos saudáveis (que nessa situação não transmitem a doença) e que eles eram senegaleses – fato que contribuiu para o descarte do diagnóstico de ebola, pois o Senegal só registrou um caso da doença, o paciente se recuperou e o país já foi declarado livre da mesma.

Este foi o primeiro caso suspeito da doença em Minas Gerais. Na semana passada, um hospital em Brasília (DF) também chegou a ser interditado devido o alerta para o ebola, mas a enfermidade foi descartada. A mesma situação se repetiu em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Paraná, em 16 de outubro. Um outro alerta também foi registrado no Rio de Janeiro, com um guineano, mas também não confirmado.

3 comentários sobre “Suspeita de ebola causou pânico em hospital de Viçosa mas possibilidade foi logo descartada

  1. do jeito que a cidade é suja e jogadas ás moscas sem nenhum controle . Basta ver os as bocas de lobo fédicas,lixo jogado na rua,sem banheiro público,queimadas criminosas,taxis sujos, é o reflexo de uma sociedade que já está doente de alguma forma,o ebola é só uma questão de tempo ,basta um maldosinho chegar caladinho e beijar umas garotas ou garotos ,pois o povo ainda não acordou para esse contagio ,tudo é festa e cervejas e muita agarração.

    1. Isso o que você acha de Viçosa? Para mim você é um estúpido, se não tem nada de bom para fazer, pelo menos respeite a cidade e simplesmente não volte mais aqui. Todos somos livres com direito de ir e vir, se não gosta de Viçosa mude-se!

  2. Isso o que você acha de Viçosa? Para mim você é um estúpido, se não tem nada de bom para fazer, pelo menos respeite a cidade e simplesmente não volte mais aqui. Todos somos livres com direito de ir e vir, se não gosta de Viçosa mude-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *