Em coletiva de imprensa, Marcos Nunes esclarece os fatos sobre sua suposta expulsão do PT

Coletiva foi marcada por imenso apoio popular e de militantes do PT ao vereador Marcos Nunes


Viçosa (MG) – Na noite desta quarta-feira (24), na Câmara de Vereadores de Viçosa, o vereador Marcos Nunes (PT) concedeu entrevista coletiva à imprensa local para esclarecimento de sua suposta expulsão do partido.

Marcos Nunes acompanhado de seu advogado, Leonardo Rezende (à direita) e do líder da bancada do PT na Câmara, o vereador Sávio José (à esquerda) (foto: Viçosa News)
Marcos Nunes acompanhado de seu advogado, Leonardo Rezende (à direita) e do líder da bancada do PT na Câmara, o vereador Sávio José (à esquerda) (foto: Viçosa News)

Durante a coletiva, Marcos Nunes foi acompanhado pelo seu advogado, o Doutor Leonardo Rezende; além da presença do Deputado Federal, Padre João (PT); do Prefeito de Ponte Nova, Guto Malta (PT) e do Vereador Sávio José (PT).

O fato gerou muita polêmica nesta semana, pois a denúncia contra o Vereador com o pedido de sua expulsão se deve segundo alegação que Marcos Nunes teria feito campanha para a candidata da oposição Cristina Fontes (PMDB), durante a última eleição municipal.

Para melhor entendimento dos fatos, dividimos o conteúdo da entrevista em 3 partes. Segue abaixo:

O FUNCIONAMENTO DO PARTIDO

O Vereador Marcos Nunes começou a entrevista explicando como é o funcionamento do Partido dos Trabalhadores em Viçosa. Ele explica que, em épocas eleitorais, o partido trabalha com uma política denominada “tendências”, que é uma análise feita pelos filiados do partido a respeito da então situação política que o município se encontra. Nesta instância, anterior às eleições, é que se decide se o partido vai lançar candidato próprio, se vai coligar com outra chapa ou se vai apoiar outra candidatura.

Durante todo o processo de análise de tendências, houve um momento em que o PT decidiu por lançar candidatura própria à prefeitura da cidade. Ainda dentro deste processo, Marcos Nunes e outros filiados do partido defendiam o apoio ao nome da então vereadora Cristina Fontes (PMDB) como candidata a prefeita. Marcos explicou que a partir do momento que o diretório do partido tomou a decisão de apoiar o candidato a prefeito Sérgio Pinheiro (PSD), ele, juntamente com seus colegas militantes do PT, também passaram a apoiar a campanha do candidato. 

Marcos também falou sobre as disputas internas do partido. “No PT de Viçosa, dois grupos disputam as decisões e frentes do partido. Um grupo, majoritário, é formado pelos que estão na direção do partido e há outro grupo, minoritário, no qual eu e outros militantes do PT fazemos parte. Muitas vezes, nós discordamos de decisões tomadas pela administração, pois nossas concepções de tendências são diferentes.”

O vereador desabafou sobre as decisões da administração do partido. “Uma prova de que as decisões que a diretoria do partido tomam são erradas, foi o resultado da última eleição, em que a candidata que nós anteriormente tínhamos apoiado conquistou mais votos que o candidato apoiado pelo PT”. – desabafa Marcos. 

AS ACUSAÇÕES

Com documentos em mãos, Marcos Nunes expôs as acusações que foram levantadas no processo contra ele. O processo foi movido pelo filiado do partido, Raimundo Nonato (PT), que na última eleição foi candidato a vice-prefeito na chapa de Sérgio Pinheiro (PSD).

Em dezembro de 2012, Marcos recebeu uma carta, informando que a comissão de ética do PT-Viçosa havia aceitado uma representação de investigação de conduta contra sua pessoa. A carta, assinada pelo presidente do PT-Viçosa Evandro Passos, também informava sobre a realização de uma audiência, onde o vereador teria então a oportunidade de apresentar sua defesa.

Entre as acusações que constam no processo disciplinar, Marcos é acusado de infidelidade partidária. Segundo o vereador, Raimundo Nonato o acusa de ter feito campanha para a candidata à prefeitura Cristina Fontes (PMDB) durante a última eleição. Marcos também é acusado de ter formulado denúncias infundadas contra o PT-Viçosa em representação feita ao Diretório Estadual.

AS FALHAS NO PROCESSO

Durante a coletiva, Marcos refutou todas as acusações e desmentiu-as, apontando as várias falhas e vícios que o processo contém. Segundo ele, nenhuma acusação contém provas válidas e suficientes para fazê-lo perder o mandato.

Um dos erros identificados pela defesa de Marcos Nunes, é a presença dos nomes de Renato Martins e Daniel Martins na comissão de ética do partido. Segundo Marcos, essas duas pessoas são extremamente ligadas ao seu suplente, o Ronildo Ferreira (PT), mais conhecido como Dj Roni. Caso Marcos Nunes perca o mandato de vereador, Dj Roni assumirá o cargo. Outra observação relevante levantada por Marcos, é o fato de que Dj Roni possui um cargo de confiança na atual administração municipal. “Segundo o estatuto do PT, um filiado com cargo comissionário no partido não pode ocupar cargo no poder executivo do município.” – explicou Marcos. 

Marcos mostra foto de homem em campanha de Cristina Fontes que foi confundido com ele (foto: Viçosa News)
Marcos mostra foto de homem em campanha de Cristina Fontes que foi confundido com ele (foto: Viçosa News)

Marcos citou outros erros encontrados no processo, entre os quais se destaca a falta de provas para as acusações. Entre as provas anexadas à denúncia de que o vereador teria feito campanha para candidata da oposição, está uma foto, que supostamente mostra o vereador participando de panfletagem da candidata Cristina Fontes. Acontece que a pessoa que aparece na foto não é Marcos Nunes.

“Eu já estive várias vezes no programa de rádio do meu amigo Paulinho Brasília e disse que se alguém me viu fazendo campanha para Cristina Fontes, pode trazer até mim que eu terei a honra de denunciar o meu mandado. Política não é brincadeira! Eu não fiz campanha pra Cristina Fontes!” – esclareceu Marcos.

Uma outra acusação sem provas, diz que o material de campanha do vereador não continha a indicação do candidato majoritário, pratica que fere as regras de campanha eleitoral. Marcos explicou que alguns broches da campanha dele, por um erro da pessoa responsável pela confecção do material, veio sem a indicação do candidato a prefeito que o partido apoiava. Ele disse que esse erro não se repetiu nos outros materiais da campanha, cuja quantidade nem se compara ao dos broches usados como prova.

Marcos Nunes também se queixou sobre o vazamento do processo à imprensa. “O filiado tem todo direito de me processar, desde que o processo ocorra em sigilo, como diz o estatuto do partido.” E finalizou dizendo que, diante da gravidade das acusações, não teve outra alternativa a não ser chamara imprensa para prestar esclarecimentos.

Assim que for comunicado oficialmente sobre sua expulsão do partido, o vereador vai recorrer às instâncias estaduais para não perder o mandato.

7 comentários sobre “Em coletiva de imprensa, Marcos Nunes esclarece os fatos sobre sua suposta expulsão do PT

  1. Infelizmente aqui em Viçosa falta POLITICOS e POLITICAGEM séria, haja visto a situação em que estamos convivendo com os atendimentos hospitalares e outros. Nas eleições futuras rogo a Deus que aprendamos a votar e nos dé POLITICOS como você, Marcos. CONTE SEMPRE CONOSCO

  2. Credo; política, politica, politica……São necessárias mudanças urgentes; todo mundo do meio querendo levar vantagens. E no povo, quem pensa? Afinal de contas não o povo que paga os salarios dos chamados POLITICOS?.

  3. Parabéns Marcos Nunes por trazer às claras os fatos que estão acontecendo. Te conheço a quase trinta anos, e sei que é um homem de bem, de caráter, de verdade, sangue bom. Não desanime, a verdade sempre prevalecerá. A política brasileira carece de pessoas como você, seja em que partido for. Deus te abençoe.

  4. MARCOS NUNES DESEJO A VOCÊ MUITA FORÇA E QUE NÃO DESANIME, O SEU CARÁTER E SUA COMPETÊNCIA VÃO MOSTRAR NO FINAL QUE ESTÁ COM A RAZÃO.

    SABRINA VILAR

  5. Fui presidente do PT Itabirito e renunciei porque existe um grupo aqui que só sabe puxar o tapete dos outros e só pensa em desconstruir o nosso trabalho. Diferenças ideológicas e de posicionamento político são normais dentro de qualquer partido, desde que haja respeito às pessoas. Companheiros históricos, que ajudaram a construir a nossa estrutura atual foram hostilizados e hoje alguns se afastaram e outros se desfiliaram. Lamentável, pois este não é o PT que queremos. Não queria que fosse assim, mas também já estou de saída!

  6. Dentro da política temos o chamado fogo amigo e inimigo! O inimigo vem de outras legendas partidárias que ideologicamente difere das nossas! E o fogo amigo, este é pior, é terrível, desanimador, pois usa mecanismos totalmente inaceitáveis na conduta humana. Meus companheiros do PT Viçosa, eleição se ganha é nas ruas, o vereador mais votado duas vezes seguida, com todo o potencial e carisma que tem, vocês querem realmente embrulhar de presente e dar para outras agremiações? O PT já perdeu muita gente boa, e penso que o foco tem que ser o futuro! O suplente que também é do PT deveria ser o primeiro a não aceitar este cenário, pois ganhar assim tem gosto de derrota, e vcs estão perdendo tempo para as próximas eleições, e para quem sabe juntos chegarem a vitoria conjunta no Executivo! “Não faças a outrem, aquilo que não querem que te façam”

  7. Um dos mais lúcidos vereadores de Viçosa. Esse processo contra Marcos Nunes nasceu com certeza na Praça do Rosário, precisamente no segundo andar da casa rosada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *